terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Rua Estreita

Saber no tanto que o mundo nos oferece.
Saber no tanto que desperdiçamos
E só ganha quem menos merece.
Aquilo que perdemos e não conquistamos.

Como correr descalço,
Ás escuras numa rua estreita.
Como ver o que não calço
E passar despercebido por quem espreita.

Viver é assim, perfurando o infinito
Tentando perceber o porquê,
Desfazer o mito
E crescer à mercê.

Nenhum comentário:

Postar um comentário