sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Vocês Fazem-me Viver

Caí no escuro…
Mas depressa o sol apareceu.
Derrubaram-me o muro,
Que antes me esmoreceu.

Vejo o outro lado,
Onde me esperam.
Lancei o dado
Para onde me esmeram.

Do outro lado de braços abertos
Preparados para me abraçar.
Não como os deste lado espertos
Que me tentam tramar.

Ando sobre o muro despedaçado
Para me juntar à minha equipa.
Tempo desperdiçado
Onde a tristeza participa.

Agora que cheguei
Aos meus cúmplices,
Para sempre lutarei
Ao seu lado sem aldrabices.

Tanta cara nova…
Tanto riso, tanta diversão.
Tanta gente que aprova
Uma grande união.

Agora espero que os penosos,
Que o muro construíram,
Se tornem invejosos!
Porque antes só fingiram.

Viva os amigos, que são tudo…
Que deram voz ao meu coração mudo.